Contribua com o trabalho do SOS Ação Mulher e Família: Banco Santander (033) / Agência 0632 / Conta Corrente 13000863-4 / CNPJ 54.153.846/0001-90

sexta-feira, 18 de janeiro de 2019

Nesta ilha na Finlândia, homens são proibidos e diárias começam em R$ 3.400

Em pleno mar Báltico, na ponta norte da Finlândia, fica um reduto feminista com conforto de hotel três estrelas e preço idem para hóspedes – inegociavelmente apenas mulheres – que desejam relaxar, praticar ioga, estar em contato com a natureza, comer orgânicos e discutir o universo feminino sem o bedelho masculino

16.01.2019 - POR HANNAH ROSE YEE
Uma ilha frequentada só por mulheres que buscam o bem-estar no Golfo da Finlândia. Tinha certeza de que estava a caminho de uma experiência surrealista quando decidi visitar a ilha SuperShe [SuperEla, em tradução livre]. Minhas impressões logo se dissiparam quando atravessei o oceano em um barco pilotado por Ida, uma bem-humorada adolescente finlandesa. “É aquela ali”, disse, apontando para o largo pedaço de terra cercado por pinheiros. Foi ela quem me guiou até “Fogo”, minha casa durante o tempo em que fiquei na ilha e “a menor das quatro cabanas disponíveis”, avisou, porém, disse sorrindo, com “a melhor vista para o oceano”.

Aprendemos mais sobre nós mesmos quando damos ao outro a oportunidade de ser ele mesmo

"Fora das redes sociais, nas ruas, acreditamos estar ocupados demais pra, de fato, criarmos alguma conexão com estranhos" (Foto: rawpixel on Unsplash)

marie claire

09.01.2019 | POR FABIANA GABRIEL

Fabiana Gabriel faz uma reflexão sobre dias que passou desconectada e de seus desejos para 2019: "Que a gente possa esquecer um pouco a conexão rasa e oportuna das redes sociais, a fofoca e ostentação de pessoas que sequer nos acrescentam algo e nos colocar em mais situações desconhecidas e, surpreendentemente, prazerosas"

Desde pequena, sempre gostei de observar estranhos na rua, imaginar as dores e alegrias que acompanham suas vidas e o que disfarçam no nosso cotidiano corrido.

Sem querer, ministra Damares impulsiona movimento feminista

Pastora Damares Alves  (Foto: Reprodução/YouTube)

Na coluna desta semana, Debora Diniz explica como discurso retrógrado da ministra tem efeito contrário

16.01.2019 | POR DEBORA DINIZ

Feministas são feias, mal-amadas e não se depilam. Mais do que sapatões de sítio, feministas não gostam de homens. Queriam ser como eles, por isso propõem uma inversão de valores no mundo vestindo rosa nos meninos e azul nas meninas. Feministas desorganizam a casa, pedem para os filhos lavarem a louça ou arrumarem o quarto. É tão grave o que fazem as feministas que sequer querem mais filhos, por isso lutam por descriminalizar o aborto. Em resumo, as feministas são mulheres problemáticas que mais deveriam estar em um hospício que pelas ruas.

'Vidro': Desfecho de trilogia é filme audacioso sobre super-heróis

Novo filme de M. Night Shyamalan é sucessor de "Corpo Fechado" e "Fragmentado".

By Rafael Argemon
17/01/2019

DIVULGAÇÃO
Elijah Price (Samuel L. Jackson), Kevin Crumb (James McAvoy) e David Dunn (Bruce Willis) no filme que fecha trilogia iniciada há quase 20 anos em "Corpo Fechado".

Um ano depois de tomar o planeta de assalto com O Sexto Sentido (1999), M. Night Shyamalan estava no topo do mundo e pronto para, em seu próximo filme, abordar um universo que o fascinava, mas que ainda não havia sido muito explorado em Hollywood: o dos super-heróis.

Globo de Ouro: Discursos feministas são o destaque da premiação

Poderosas palavras de Regina King e Glenn Close marcaram a 76ª edição do Globo de Ouro. Sandra Oh celebrou a diversidade.

By Rafael Argemon
07/01/2019


KEVORK DJANSEZIAN/NBC VIA GETTY IMAGES

Regina King prometeu que suas produções terão 50% de profissionais mulheres e desafiou sociedade a fazer o mesmo.

A noite da 76ª edição do Globo de Ouro foi, definitivamente, das mulheres. A premiação, que aconteceu na noite deste domingo (6) foi marcado pelos poderosos discursos feministas de Regina King e Glenn Close.

OSC de Campinas (SP) é uma das primeiras a receber Selo Ouro de preenchimento







OSC de Campinas (SP) é uma das primeiras a receber Selo Ouro de preenchimento

A Organização da Sociedade Civil (OSC) SOS Ação Mulher e Família, localizada em Campinas, no interior de São Paulo, foi uma das primeiras 820 mil organizações do Mapa das OSCs a receber, simbolicamente, o Selo Ouro de preenchimento, com 95% das informações preenchidas e atualizadas em sua página individual.

Formada por uma equipe multidisciplinar, a instituição, criada em 1980, promove o atendimento psicológico, social e jurídico de mulheres em situação de violência de gênero, violência doméstica e intrafamiliar na região metropolitana de Campinas. Presta ainda ajuda a crianças e adolescentes e homens, sejam eles autores de violência ou não.

De acordo com a coordenadora geral da SOS Ação Mulher e Família, Gislaine Rossetto, o objetivo de preencher e manter as informações atualizadas no Mapa “é divulgar o trabalho de prevenção e enfrentamento da violência doméstica e intrafamiliar, buscando ampliar e fortalecer o alcance com o valioso apoio do Ipea e de possíveis parcerias sensíveis à causa”.

Gislaine conta que o preenchimento das informações no Mapa foi feito em várias etapas e dias, de acordo com a ordem apresentada pelo formulário, e que é importante manter todos atualizados. “Em especial os campos Titulações e Certificações, Espaços de Participação Social, Projetos/Atividades e ou Programas porque quanto mais divulgação e parcerias, maior o alcance do trabalho desenvolvido em benefício da sociedade”.

Como funciona o selo: sempre que uma OSC preencher 50% ou mais de suas informações no Mapa ela recebe um selo de preenchimento do Mapa das OSCs, reconhecendo o compromisso e a contribuição das organizações para ampliar o conhecimento disponível sobre o setor. O selo tem caráter simbólico e varia conforme a porcentagem de preenchimento. O Selo Bronze é atribuído àquelas OSCs que possuem entre 50% e 70% de informações preenchidas. O Selo Prata equivale ao intervalo de 71% a 90%, e o Selo Ouro para aquelas OSCs que preencherem entre 91% e 99% dos dados. As OSCs que preenchem 100% dos campos disponíveis no Mapa recebem o Selo Diamante.


* VOCÊ SABIA?

 

No próximo dia 21 janeiro, é comemorado o Dia Mundial da Religião. Das 820.186 mil OSCs presentes no Mapa, as organizações com finalidades religiosas ficam em segundo lugar em quantidade, representando 25,4% do total (208.325). O número está atrás apenas das entidades classificadas com a finalidade desenvolvimento e defesa de interesses, com 41,3% das OSCs mapeadas (339.104). A maioria das instituições religiosas é localizada na região Sudeste (34%), seguidas das regiões Centro-Oeste (30%), Norte (20%) e Sul e Nordeste (17% cada). A classificação de finalidades de atuação das OSCs no Mapa, conforme metodologia adotada, é definida com base nos princípios da atividade principal, estabelecidos pela Classificação Nacional de Atividades Econômicas (CNAE).
* DESTAQUE 1
O Mapa das OSCs foi destaque no Manual MROSC/DF: gestão de parcerias do Marco Regulatório das Organizações da Sociedade Civil. Entre as informações reunidas, a publicação determina que é de responsabilidade da administração pública do Distrito Federal fornecer informações ao Mapa, o qual visa a consolidar e divulgar informações sobre as OSCs e parcerias.Clique aqui para fazer o download do documento.
 

* DESTAQUE 2
Pesquisadores da Escola de Direito de São Paulo da Fundação Getulio Vargas (FGV Direito SP) lançaram a publicação Destaques: sustentabilidade econômica das organizações da sociedade civil. O texto contém uma síntese de pesquisas sobre o tema, além de análises sobre o financiamento privado das organizações. A FGV Direito SP é parceira do Mapa no grupo consultivo de apoio à análise de dados referentes ao perfil das OSCs no Brasil. A publicação está já disponível (acesse aqui).

quinta-feira, 17 de janeiro de 2019

Formação de Promotoras Legais Populares


Katelyn Ohashi e o 10 perfeito na ginástica que hipnotiza a Internet



Katelyn Ohashi e o 10 perfeito na ginástica que hipnotiza a Internet
D.R.

Não é a primeira vez que Katelyn Ohashi tira uma nota 10 redonda e absoluta em seus exercícios de ginástica artística defendendo a equipe da Universidade da Califórnia em Los Angeles (UCLA), mas o que recebeu neste fim de semana no Collegiate Challenge (no qual participaram veteranos da UCLA e ex-aspirantes aos Jogos Olímpicos) atingiu um novo nível: tornou-se viral.

quarta-feira, 16 de janeiro de 2019

Armas matam mulheres



Decreto sobre a posse de armas
Protesto em Israel contra violência de gênero em dezembro de 2018 AP PHOTO / ODED BALILTY

Arma de fogo é um objeto de desejo dos homens. Há gênero na política de armas: em quem ambiciona sua posse e em quem a utiliza para matar. É, particularmente, um instrumento de guerra e de poder dos homens latino-americanos. Brasil, Colômbia, México e Venezuela juntos somam um quarto de todos os homicídios do planeta. Homens matam homens, homens matam mulheres. É verdade que homens morrem mais do que mulheres por homicídio – são eles que estão diretamente envolvidos no narcotráfico, nos conflitos armados, nas lutas por propriedade. Se homicídio é a categoria penal genérica para este tipo de crime, feminicídio foi palavra inventada na América Latina: somos a região do mundo em que as mulheres mais morrem por maridos, namorados, pais ou filhos.

Se como homem você se ofende com o anúncio da Gillette, você tem um problema


A campanha que está provocando tanta controvérsia. GILETTE
Vejamos, com o dicionário na mão: da masculinidade se diz que é a “qualidade de masculino”. A definição de masculino: “Pertencente ou relativo aos animais machos; destinado só aos homens ou que se compõe só de homens”. No último anúncio da Gillette, que foi lançado no domingo e virou a grande polêmica da semana, aparecem homens que tentam deter outros homens que brigam, homens que repreendem outros que assediam mulheres, e homens que pedem a outros homens que deixem as mulheres falarem em vez de interrompê-las para corrigi-las. Também há crianças fazendo bullying com outras pela Internet ou dando-lhes surras no pátio do colégio.

As meninas e a necropolítica no Ceará

Dillyane de Sousa Ribeiro
Quarta-feira, 16 de janeiro de 2019
No Ceará, vive-se uma explosão do poder da morte sobre a vida de meninas. A morte em nosso território tem desafiado a longa trajetória de organização popular. Também tem sido sentida sobretudo nas periferias onde o Estado insiste em transformar em territórios de exceção e os corpos jovens correm os maiores riscos. Fortaleza e o Ceará são respectivamente a capital e o Estado com os maiores índices de homicídio na adolescência do Brasil. Os meninos aqui morrem demais, mas as meninas têm morrido cada vez mais.

Solidão masculina

 Os homens que procuram terapia estão se sentindo, na maior parte das vezes, extremamente solitários.
02 de Setembro de 2011
Na minha prática de consultório ouço muitas pessoas. Em sua maioria, mulheres tentando resolver questões amorosas, buscando sucesso profissional e direcionamento para suas vidas. Mas quem ouve os principais dilemas e problemas dos homens?
Os homens que procuram terapia estão se sentindo, na maior parte das vezes, extremamente solitários. Não se queixam especificamente de falta de trabalho, mulher ou amigos. Nem dizem: “Estou me sentindo sozinho, doutor. Socorro!”
Você quer gritar, mas ninguém vai te ouvir

MENTALISTAS: Qual é a origem da violência contra a mulher? É possível criar uma geração mais consciente em relação ao problema?

Metrópole Estadão

Camila Tuchlinski recebe a psicóloga especialista em Terapia Comportamental pela USP Desiree Cassado e o filósofo e sociólogo Sérgio Barbosa, do projeto Tempo de Despertar.

Acesse os vídeos:




É possível detectar a psicopatia na infância?


A Órfã. Dirigido por Jaume Collet-Serra. Canadá, Alemanha, 2009
A Órfã. Dirigido por Jaume Collet-Serra. Canadá, Alemanha, 2009

Um bebê — mesmo que seja quase impossível de se detectar — pode apresentar traços psicopáticos. É difícil de acreditar, mas é verdade, porque, de fato, a psicopatia é fundamentalmente um transtorno no desenvolvimento, e não aparece do nada na idade adulta. Todos os adultos psicopatas mostraram traços característicos durante sua infância e adolescência, e podem ser detectados a partir de idades bem precoces. Mas quais são esses traços e como podem ser detectados em crianças tão pequenas?

Mulheres não poderão ir sozinhas à Supercopa da Itália na Arábia Saudita

Torcedores do Al Hilal, no primeiro dia em que Arábia Saudita permitiu que elas fossem ao estádio.
Torcedores do Al Hilal, no primeiro dia em que Arábia Saudita permitiu que elas fossem ao estádio.  AFP/GETTY IMAGES

Um estádio praticamente reservado para homens. Isso é o que encontraram os torcedores que tentaram comprar um ingresso para a Supercopa da Itália entre Juventus e Milan amanhã, 16 de janeiro, em Jeddah, Arábia Saudita, às 15h30 (horário de Brasília). A modalidade da venda de entradas, que discrimina as mulheres, causou polêmica esportiva e diplomática. Todo o espectro político italiano se expressou em bloco na mesma linha, condenando a decisão da Série A, organizadora do evento, de levar a partida ao país árabe sob essas condições e alguns torcedores e ativistas pediram até mesmo a suspensão do jogo.

terça-feira, 15 de janeiro de 2019

Choronas | Brejeiro / Apanhei-te Cavaquinho (Ernesto Nazareth) | Instrumental Sesc Brasil


Instrumental Sesc Brasil
Publicado em 3 de jan de 2012

Choronas é o nome do grupo formado por quatro musicistas, que encanta e comove o público tocando ritmos próprios da música brasileira: choro, baião, maxixe e samba. Atuando desde 1994, Choronas tem se apresentado em diversos espaços culturais de São Paulo, outras cidades brasileiras e no exterior. Formado por Gabriela Machado (flauta transversal); Ana Cláudia César (cavaquinho); Paola Picherzky (violão de 7 cordas) e Roseli Câmara (percussão).
Formação:
Gabriela Machado - flauta transversal
Ana Cláudia César - cavaquinho
Paola Picherzky - violão de 7 cordas
Roseli Câmara - percussão

Gênero: Choro

Igualdade de gênero no dia a dia alemão

Na Alemanha, há um feminismo pragmático de luta por direitos iguais para homens e mulheres no cotidiano. Na política e no ambiente de trabalho, ainda há muito a ser conquistado.

14.01.2019
Karina Gomes
Symbolbild Kopierer (Colourbox)
Assim que me mudei para a Alemanha, percebi um silêncio incomum nas ruas. Eu podia andar tranquilamente com a roupa que fosse que raramente seria incomodada por um homem. As cantadas acontecem, mas não com frequência. O mesmo se refletiu em festas (com exceção do Carnaval), em que o flerte era lento. Dei-me conta que quem geralmente toma a iniciativa da conversa é a mulher.

Doria veta projeto de deputada para delegacias da mulher 24h e diz que vai melhorá-lo


ASSOCIATED PRESS
Atualmente, apenas uma delegacia especializada atende 24h na capital.

Governador argumenta que texto era inconstitucional; Aumentar esse tipo de atendimento era sua promessa de campanha.
HuffPost Brasil
By Ana Beatriz Rosa
14/01/2019
Promessa de campanha de João Doria (PSDB), a ampliação das delegacias da mulher em São Paulo entrou em debate após o novo governador do Estado vetar na última quinta-feira (10) um projeto de lei que defendia justamente o funcionamento destas unidades ininterruptamente.